Organização do conhecimento

Sobre a Organização do conhecimento na perspectiva tomista

São Tomás de Aquino nos ensina em sua obra De Trinitate, questão 5, artigo 1: “Entre as ciências, umas são práticas e outras especulativas; e diferem por que as práticas são por uma obra, enquanto as especulativas são por si mesmas [ou seja, conhecem por conhecer, por superar uma ignorância].”

Deste modo, estrutura-se o conhecimento da seguinte maneira:

Conhecimentos especulativos:

1. Física Geral: ciência do ente móvel.

1.1. Física Especial (Cosmologia): ciência do ente enquanto sob a perspectiva do movimento local.
1.2. Química: ciência do ente enquanto a geração e a corrupção.
1.3. Biologia: ciência do ente enquanto aumento e diminuição.
1.4. Psicologia: ciência do ente enquanto modificação ou alteração.

2. Matemáticas: ciência do ente quantidade (ens quantum).

2.1. Álgebra: ciência da quantidade discreta (multitude).
2.2. Geometria: ciência da quantidade contínua (magnitude).

3. Metafísica (Filosofia Primeira): ciência do ente enquanto ente.

 Conhecimentos práticos:

4. Ativas (agere): ciências morais da ação humana.

4.1. Ética: ciência do autogoverno.
4.2. Econômica (que inclui a Ecologia): ciência do governo doméstico, da polis e das vizinhanças.
4.3. Política: ciência do governo da polis.

5. Produtivas (artes):

5.1. Servis: todas as artes que visam o sustento do corpo.
5.2. Belas: artes que fazem propender ao Bom e ao Verdadeiro mediante ao Belo e afastar-se do mal mediante o horrendo.
5.3. Liberais: artes e ciências da autoeducação

TOP
Desenvolvimento: Agência Prime